Resenha: Trilogia que não é trilogia Crossfire

19:41




Faz tempo que não rola uma resenha por aqui, eu até ando lendo mais do que nunca ultimamente, mas o que me falta é tempo para ficar na frente do computador para escrever. Eu já tentei postar de celular, tablet mas não rola gente, sou do tempo das cavernas mesmo.
Hoje a resenha vai ser dessa releitura que fiz semana passada e que eu gosto muito, já resenhei ela no blog antigo, mas toda vez que eu releio um livro vejo por perspectiva diferente.
A série crossfire tem um dos meus personagens preferidos, ate mais do que o Christian Grey que comparado com Gideon Cross é só um homem problemático.

Bom vamos a minha opinião pessoal sobre a série já que eu não sou uma especialista em resenhas literárias e normalmente as minhas saem bem diferentes das que eu leio por ai, cada um tem uma forma de dá a opinião sobre um assunto e minhas resenhas são mais... sei lá, nem sei explicar.

Vamos falar da trilogia que virou quinteto... huahuahua Sylvia Day muito louca gente.

Gideon Cross é um macho alfa de deixar qualquer mulher com aquele T maiúsculo, moreno, olhos claros, torneado e um documentos avantajado, tirando que multimilionário rsrs, há galera sim ele é problemático porque ninguém no real e no fictício é perfeito! Abusado quando pequeno, Gideon leva uma vida perturbada, ai ele conhece Eva Tramell e fica deslumbrado com a sua beleza. A Eva tbm não é uma pessoa fácil, foi abusada pelo enteado da mão quando nova e despirulitou na vida, fez terapia e aprendeu a tocar a sua vida de forma mais saudável, 

A forma como os personagens se conheceram, não deixa de lembrar o Cinquenta Tons. Me pergunto se foi muita coincidência as duas mulheres cairem no chão quando veem os gostosos dos homens. Acho que meio que a autora se inspirou em Cinquenta Tons de cinza no primeiro livro, porque durante a história alguns fatos são bem parecidos. 

O fato é que o livro é bem detalhista no linguajar sexual, e os personagens transam por qualquer coisa, impressionante como qualquer discursão acabava na cama dando umas 4 porque o Gideon é o HOMEM, 

Cary é o amigo bi sexual de Eva, cresce bastante ao longo da história, bem humorado, companheiro toda menina deveria ter uma amigo assim. Ponto negativo com Cary é que eu não vi um fim descente para ele no final do livro 5. Ficou meio vago !

A autora podia ter feito um livro com mais páginas e terminado no terceiro, não consigo entender porque prolongou tanto a história, não gostei do Todo Seu, apesar de ela ter tirado mais as cenas de sexo e deixado mais realista para nós leitores.

Apesar de não ter gostado do final simples demais da série, não posso deixar de afirmar que em boa parte a leitura nos prende.

Não recomendo o livro para adolescentes, apesar que nos dias de hoje, os adolescentes parecem que querem pular essa fase direto para a adulta rsrsr. É uma leitura cheia de contato sexual, linguajar adulto, por isso não recomendo para menores.

Bom é isso não quero contar muito do livro para não dá spoiller, em sí a série é boa, cheia de tensão sexual, eu recomendo muito a todas a conhecerem Gideon Cross, o cara que consegue ser mais gostoso que Christian Grey hahahahaha


Você também pode gostar

2 comentários

  1. Olá Anny,
    Eu ainda não havia lido resenhas sobre esses livros, e também não conhecia a autora... Eu confesso que prefiro os livros de romance com um apegada mais hot do que os que são mais nesse estilo 50 Tons..enfim. Curti sua resenha e suas dicas sinceras... fiquei curiosa para ler um deles.
    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Amei, beijinho.
    https://coisasdedivas.wordpress.com/

    ResponderExcluir

Google+ Followers

Pinterest

Follow Me @blogfalaaianny

Subscribe